Notícias

Balanço da Agrotins 2018 mostra recorde com mais de R$ 2 bilhões em volume de negócio

25/06/2018 - Rondinelli Benício/Governo do Tocantins

Mais de R$ 2 bilhões em negócios iniciados. Este foi o número recorde divulgado pelo secretário de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e da Pecuária, Thiago Dourado, no balanço da Feira Agrotecnológica do Tocantins (Agrotins) 2018, nesta quinta-feira, 24. Conforme o gestor, a feira também bateu recorde de público, com mais de 142 mil visitantes.

Entre operações de crédito e aquisições iniciadas; e pequenas aquisições, o volume de negócios rendeu R$ 2,18 bilhões, recorde destacado pelo secretário Thiago Dourado durante a entrevista coletiva. “Todas as nossas expectativas foram superadas tanto em volume de negócios quanto expositores. A Agrotins é uma das maiores Feiras Agrotecnológicas do Brasil, podendo ser comparada com as principais, como a Agrishow”, afirmou o secretário.

Conforme apuração da Secretaria, o evento trouxe números positivos quanto ao público envolvido, mais de 142 mil visitantes. E ainda, 678 expositores e parceiros e movimentação de mais de 39 mil veículos. A Feira contou com a participação de todos os 139 municípios, gerando mais de 1.200 empregos direta e indiretamente. Durante a Feira, ocorreram cerca de 10 mil atividades de capacitação. Ainda, a Agrotins trouxe também a movimentação do comércio em Palmas. “Além de toda movimentação da feira, existe o turismo do agronegócio, que movimentou mais ou menos R$ 30 milhões em nossa capital nesse setor, entre hotéis, passagens, alimentação e muitas outras coisas”, comemorou o gestor da Seagro.

O tema da edição 2018 da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins foi O Futuro na Agroindústria Sustentável, para demonstrar o desenvolvimento da agroindústria no Tocantins, destacando a necessidade de impulsionar o desenvolvimento do setor.

Agrotins 2019

Durante a coletiva, o secretário falou ainda sobre o desafio para o ano que vem (2019), que é internacionalizar a Feira, com o tema bastante atual, a Bioeconomia: o Agronegócio além do alimento. “Queremos ter um alcance mundial que traga um respaldo e incentivo para economia. A bioeconomia é a economia da vida, que é gerada por meio do plantio, desse ciclo da sociedade, que é o resíduo, reuso do resíduo, produção de alimento, entre outros. É uma economia circular”, esclareceu o secretário.

Conforme explicou o gestor da Seagro, a Bioeconomia é uma economia sustentável, que reúne todos os setores da economia que utilizam recursos biológicos. Esse mercado oferece soluções coerentes, eficazes e concretas para os grandes desafios sociais, como a crise econômica, as mudanças climáticas, substituição de recursos fósseis, segurança alimentar e saúde da população. “A sequência deste ano é transformar essa positividade da feira em um cenário macroeconômico do Estado, para que a gente possa absorver e impulsionar essa positividade que a Agrotins 2018 gerou”, concluiu o secretário.